Quinta-feira, 17 de Janeiro de 2013
Intestino preso na gravidez

Problemas com trânsito intestinal lento são comuns à boa parte da população, independente de sexo e idade, mas durante a gravidez esse tipo de ocorrência é ainda mais frequente. Isso acontece porque, durante a gestação, mudanças hormonais podem alterar o funcionamento intestinal, tornando-o mais preguiçoso e aumentando a dificuldade para evacuar. Esse desconforto na vida da gestante pode ser reduzido a partir de mudanças de hábitos alimentares e com adoção de algumas medidas preventivas em relação ao estilo de vida. Atitudes saudáveis em relação ao controle alimentar e a prática de atividade física, não interferem no desenvolvimento do bebê e aumentam o bem-estar da gestante.


Alimentação

Invista em hábitos já conhecidos, como aumento da ingestão de água e fibras e redução da ingestão de gorduras e açúcares.
Experimente consumir iogurtes com probióticos, que são capazes de ajudar a boa saúde digestiva, inclusive durante a gestação.

 

Remédios caseiros

Deixar ameixas pretas em uma jarra de água e beber dois a três copos por dia ajuda no trânsito intestinal, pois o líquido umedece as fezes e ajuda na sua alimentação.

 

Prevenção

Frutas contribuem para o alívio da constipação, pois são compostas de fibras. Fique com ameixa, mamão, laranja com bagaço e damasco, mas evite goiaba, maçã, banana e caju, que prendem o intestino.



Publicado por jaquelinebernardo às 16:07
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Ocitocinas

ocitocina, também chamada de oxitocina, é um hormônio sintetizado no núcleo supra-óptico do hipotálamo e transportada em pequenas vesículas envoltas por uma membrana através dos axônios dos nervos hipotálamo-hipofisário. Estas vesículas ficam armazenadas nos terminais nervosos encontrados próximos aos leitos capilares na neuro-hipófise até a sua secreção para a corrente sanguínea. Deste modo, a ocitocina apresenta dois sítios de origem: um ovariano e outro hipotalâmico.

 Este hormônio também é responsável por desempenhar um importante papel no processo reprodutivo. Durante a fase folicular do ciclo reprodutivo e durante os estágios finais da gestação, a ocitocina estimula as contrações uterinas, que facilitam o transporte do esperma para o oviduto durante o período fértil.

O estímulo primário para a liberação da ocitocina é a distensão mecânica da cérvix uterina provocada pela insinuação do feto no momento do parto, bem como o ato de sucção da glândula mamária. Os impulsos são transmitidos por nervos aferentes que conduzem o reflexo para os corpos neuronais, causando a despolarização da membrana nervosa, que se propaga para a região terminal do axônio. O influxo de cálcio gera a fusão dos grânulos e exocitose dos conteúdos granulares, e, então, a ocitocina e sua neurofisina são liberadas para a circulação sanguínea, sendo encontradas sob a forma livre ou ligadas a proteínas plasmáticas.

A ocitocina gera também outras ações, como a ejeção do leite. Na lactante, estímulos táteis e visuais, juntamente com a sucção induzem a liberação da ocitocina na corrente sanguínea, levando a contração das células mioepiteliais que circundam os alvéolos presentes na glândula mamária, resultando na liberação do leite. Este hormônio possui também ação vasodilatadora e ação antidiurética fraca. Estima-se que a meia-vida da ocitocina gire ao redor de 5 a 12 minutos.

Estudos realizados apontaram também que a ocitocina está relacionada com o orgasmo, tanto masculino, quanto feminino. Os pesquisadores propuseram que é possível que haja uma interação entre as contrações musculares e odesejo sexual/orgasmo.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ocitocina
http://www.anestesiologia.com.br/anestesinfo.php?itm=85
http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mulher/mat/2007/09/12/297695317.asp



Publicado por jaquelinebernardo às 16:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Truques para provocar o parto

>>>>>>>>>>>>>Atenção: nunca tente nada parecido se tiver qualquer tipo de complicação na sua gravidez, e se estiver com menos de 38 semanas completas. O bebê é considerado pronto para nascer com 37 semanas, mas sempre pode haver algum erro de cálculo, portanto não custa garantir. Quanto mais tempo o bebê ficar na barriga, mais forte e saudável ele vai nascer.  <<<<<<<<<<<<<<

Sexo

Acredita-se que o sexo incentive o trabalho de parto atuando de três maneiras diferentes. O orgasmo pode estimular o útero; a atividade sexual pode estimular a produção de ocitocina; e a prostaglandina presente no esperma pode ajudar a amaciar o colo do útero. 
O sexo é contra-indicado se a bolsa tiver rompido, porque há risco de infecção. O sexo também deve ser evitado no caso de placenta baixa ou sangramentos vaginais. Leia mais sobre o sexo na gravidez. 


Comer abacaxi

A lenda é que a enzima bromelina, presente no abacaxi, ajude a amadurecer o colo do útero e facilitar o trabalho de parto. Mas cada abacaxi tem bem pouca bromelina. Além disso, o "efeito" se perde se a fruta for transformada em suco ou doce. 
O risco é acabar ficando com dor de barriga ou com uma baita crise de azia. 

Tomar chá de canela e/ou gengibre

Existe a idéia de que o chá de canela deixa o útero mais sensível, mas não há provas científicas. Se o chá for muito concentrado, ou tomado em grande quantidade, pode irritar o trato digestivo, o que pode acabar provocando alguma desidratação e deixar o útero mais irritável. E desidratação nunca é aconselhável para ninguém, especialmente para uma grávida. 


Comidas apimentadas

Não há provas científicas de que comidas fortes, bem temperadas ou apimentadas ajudem a incentivar o início do trabalho de parto, mas a idéia é estimular a mucosa do estômago e do intestino, para ver se o útero "pega carona" na atividade. 
Porém comidas fortes e apimentadas certamente vão provocar azia no final da gravidez. Além disso, para quem não está acostumada, diarréia e vômito são riscos consideráveis em caso de exagero, e é sempre bom tomar cuidado com a desidratação. Outro porém é se você está com hemorróidas: a pimenta pode agravar a dor e o sangramento.


Andar (ou fazer faxina!)

A explicação é que a atividade de andar ou fazer esforços físicos como numa bela faxina aumentaria a pressão da cabeça do bebê sobre o colo do útero, o que por sua vez estimularia a produção de ocitocina, o hormônio responsável pelas contrações. 
A tática é mais eficiente quando já se está no comecinho do trabalho de parto, com contrações ainda irregulares ou fracas. A caminhada pode ajudar a dar mais ritmo às contrações.  Não há perigo, desde que você não exagere. O trabalho de parto por si só já será cansativo, e é bom guardar energia.  Se você não se exercitou muito durante a gravidez, pegue leve. Um passeio na beira da praia, num parque ou num shopping já é o suficiente -- não está na hora de rechear a geladeira para quando vocês chegarem do hospital com o bebê? Vá ao supermercado! E de preferência acompanhada. 



Por último, truques engraçados

Folclore ou não, há outros métodos que provocariam o trabalho de parto -- nada científicos! Algumas mulheres juram que funcionam, mas é duro se convencer, porque são bem estranhos. 

• Encher balões de aniversário 
• Andar de carro ou ônibus numa rua esburacada 
• Assistir a um filme bem melado e chorar bastante 
• Usar seus melhores sapatos (a lei de Murphy diz que sua bolsa vai estourar e encharcá-los!). 






Publicado por jaquelinebernardo às 15:40
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Terça-feira, 15 de Janeiro de 2013
É verdade que existe mais de um tipo de dor nas costas na gravidez?


 

Dor nas costas verdadeira 
É a dor causada pelos mesmos fatores que a dor nas costas em pessoas que não estão grávidas. 
Ligamentos, músculos, discos e articulações podem ficar sobrecarregados devido a problemas de postura, ao hábito de carregar peso de maneira incorreta, à fraqueza ou insuficiência muscular e a lesões. O mais comum é que esse tipo de dor já exista antes da gravidez. 
A dor nas costas costuma piorar no fim do dia, ou quando se fica de pé por longos períodos. Isso se deve ao cansaço muscular e à distensão dos ligamentos, para sustentar o seu peso e o do bebê. 

Dor ciática 
Uma pequena proporção de mulheres sofre de ciática durante a gravidez. Trata-se da dor no nervo ciático, na base das costas, dos lados, por inflamação ou pressão. Às vezes, o funcionamento do nervo pode ficar prejudicado, o que provoca fraqueza na perna ou sensação de formigamento. A dor pode se estender pela parte de trás da perna. Ao contrário do que acreditam as pessoas, a ciática não é causada pela pressão do bebê sobre o nervo. É provável que, se você tiver dor no nervo ciático, tenda a ter o problema grávida ou não. Tente identificar a ação ou posição que deflagram a dor (deitar de barriga para cima, por exemplo) e a evite. 

Dor pélvica 
O tipo mais comum de dor nas costas na gravidez é a dor no plexo pélvico. A dor pélvica é consequência da gestação e deve ser tratada de forma diferente da dor nas costas comum. Os tratamentos tradicionais podem ser ineficazes e até piorar a dor no plexo pélvico. Se você sentir dor na parte da frente, acima da vagina, no osso do púbis, pode estar sofrendo de um problema chamado disfunção da sínfese púbica. É importante pedir ajuda ao seu médico ou a um especialista para ajudar a diferenciar a dor causada por esses problemas. 

Dor causada por contrações 
Em casos mais raros, as contrações de um trabalho de parto prematuro podem vir na forma de dor nas costas. A partir do segundo ou terceiro trimestre, preste atenção se a dor nas costas vem em ondas, e olhe no relógio para ver se elas têm alguma regularidade.  Às vezes a dor nas costas pode ser uma contração sem que a barriga fique dura. Se desconfiar de que está tendo contrações antes da 37a. semana de gravidez, procure o médico.



Publicado por jaquelinebernardo às 23:23
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Grávidas devem usar sutiã para dormir

É, a gravidez tem os seus desconfortos, que provavelmente ficarão de escanteio no instante que você vir a carinha do seu bebê. O uso do sutiã na hora de dormir é algo que transita entre vantagem e desvantagem para a gestante. O que acontece é que, como as mamas são supersensíveis à atuação dos hormônios, do primeiro ao terceiro mês de gestação elas crescem bastante, justamente quando a produção deles está alta. E o sutiã – que serve para deixar a mulher mais bonita, ajuda na sedução e outras coisas mais – tem a função de sustentar os seios, que tendem a “cair” por causa do peso, ao longo da vida. Como na gravidez, esse peso vai aumentar, a recomendação médica é usar até para dormir. Os tops – mais confortáveis, de algodão – também podem fazer sua parte. Por mais que pareça que vá incomodar, na verdade para muitas grávidas ele pode ser um alívio na hora de deitar, melhorando o sono. Não é uma obrigação, mas pode trazer benefícios. 



Publicado por jaquelinebernardo às 18:00
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos


Mais sobre mim
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Posts Recentes

Intestino preso na gravid...

Ocitocinas

Truques para provocar o p...

É verdade que existe mais...

Grávidas devem usar sutiã...

As dores mais comuns na g...

Rachaduras nos Seios

Líquido Amniótico

Como saber se o bebê enca...

Tampão Mucoso

Arquivos

Janeiro 2013

Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds